A poesia está em todos os lugares, basta olhar não apenas com os olhos, mas olhar também com o coração!!!


Sou e serei sempre um eterno sonhador!!!





VOCE VISITANTE, É SEMPRE BEM VINDO!!!





terça-feira, 31 de agosto de 2010

MEU HERÓI, NOSSO HERÓI
















Voce que deu a um povo tanta alegria
E permitiu a esse povo a fantasia
De estar guiando contigo quando vencia
Dividindo a emoção que te pentencia
Meu herói, que saudade!
Nosso herói, que saudade!

Cada curva, cada reta na sua vida
Era sempre uma etapa a ser vencida
E toda nova vitória, braço erguido
Empunhando a bandeira de um povo sofrido
Meu herói, que saudade!
Nosso herói, que saudade!

Lição de vida e humildade
Raça e vontade
Voce foi de um povo
Motivo de orgulho e felicidade
Sua derrotas, suas vitórias
As lutas, as glórias
A imagem, o mito
Vão ficar pra sempre
Na nossa memória

Seu coração sempre aberto, tanta esperança
O amor pelo seu país e pelas crianças
A luta para vencer o exemplo ficou
Pois numa curva lutando o herói nos deixou
Meu herói, que saudade!
Nosso herói, que saudade!

Hoje em outros autódromos desconhecidos
Diferentes desafios a serem vencidos
Ficou a imensa saudade entre os seus
Mas pilota agora em pistas feitas por Deus
Meu herói, que saudade!
Nosso herói, que saudade!



Esta canção nasceu no dia 2 de maio de 1994 em homenagem ao maior piloto de formula 1 que o mundo ja conheceu, AIRTON SENNA, herói de todo um país.


Poeta de Cá

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Refletindo

No meu tempo de criança
Acabei por aprender
Ser adulto é tão dificil
Mas não dá pra não crescer
Pois o carrocel não para
Pra gente poder descer


Na vida se tem reveses
Tem dia bom e dia mau
Um alegre, outro triste
Nada permanece igual
Viva os dias de sol
Mas enfrente o temporal


Sei que existem muitas dores
Não há como isso evitar
É necessário muita força
Para as dores enfrentar
Mas uma mão estendida
Nos ajuda a continuar




Muitas pessoas devem a grandeza de suas vidas aos problemas e obstáculos que tiveram que passar (Charles Spurgeon - Teólogo)


Poeta de Cá

Navegar















Eu quero te navegar
Seus segredos aprender
Vou te fazer delirar
Nasci pra te dar prazer
Tuas curvas contornar
Com meus beijos te envolver


Minha mão maliciosa
Vai esse mar percorrer
De uma forma audaciosa
Cada ilha conhecer
Voce tão maravilhosa
Quero te sentir tremer


Vou provocar tempestades
Em seu porto me socorrer
Nas ondas das suas vontades
Irei me satisfazer
Por pura felicidade
Vou nesse mar me perder


Depois de muito te amar
E o cansaço me vencer
Vendo a noite terminar
E um novo dia amanhecer
Envolvido por teus braços
Eu quero adormecer



Me tenha sempre num cantinho do seu coração!


Poeta de Cá

Pra voce

Dou a ti o meu sorriso
Dou a ti o meu olhar
Te seguro entre meus braços
Meu ombro vai te ninar
Te dou todo o meu amor
Também meu tempo de amar


Meu carinho te pertence
É tua minha canção
Te entrego os meus segredos
Poesia e emoção
Embarque na minha vida
Corra pro meu coração


Minha alegria é tua
Meu beijo sempre foi teu
O desejo que eu sinto
Sempre a ti pertenceu
A minha inspiração
De ti jamais se esqueceu



Ao andar por aí, só queria pedir uma coisa ao vento: Que me trouxesse voce!




Poeta de Cá

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Existem dias...!!!

existem dias que não dá nem pra pensar
pela manhã o mau humor gruda na gente
se vou fazer alguma coisa sem errar
tudo me sai de uma maneira diferente
existem dias que as coisas ficam horrorosas
andar nas ruas é pisar em excrementos
sapatos sujos com alguma coisa pastosa
eu me maldigo, solto o verbo e lamento
existem dias que eu nem sei o que fazer
e o meu pc fica travando a todo instante
tento de todas as maneiras escrever
quase preciso tomar logo um calmante
existem dias que nem isso adianta
dá tudo errado e o melhor mesmo é parar
só uma coisa num dia assim me acalenta
é te amar, te amar e te amar!


As vezes nem isso eu consigo...rsrsrs




Existem dias que talvez fosse melhor nem se levantar pela manhã...


Poeta de Cá

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Momentos de magia

                                                   video


Tocar seu rosto
e ter a sua companhia
matar a sede
te ter em mim a cada dia
trazer pra vida
grandes momentos de magia!

Em cada passo
um caminhar sem nostalgia
no pensamento
voce em minha poesia
do seu amor
reter momentos de magia!

Na tua boca
um beijo por com ousadia
beber na fonte
a água pura que sacia
deixar meus rastros
nesses momentos de magia!

O seu abraço
é para mim feitiçaria
sentir sua pele
por certo me traz euforia
seus olhos verdes
são meus momentos de magia!

 
 
Diante de tantas definições que se dá ao amor, resumi numa só palavra, voce!
 
 
Poeta de Cá

Voce, o amor e eu

Seu sorriso tão lindo, eu não pude esquecer
Eu te tenho guardada no meu coração
Por onde eu ando sempre encontro voce
Até mesmo nas notas do meu violão


Suas lágrimas me regam, como chuva que cai
Seu olhar me ilumina, como o brilho do sol
Seu perfume no vento, me arrebata e atrai
Eu te ouço no canto de um rouxinol


Eu percebo seu toque na brisa em meu rosto
Mesmo estando distante eu te sinto aqui
Meu corpo em seu corpo, conhecendo seu gosto
Seu calor continua grudado e mim


O ontem se foi
O amor não morreu
O hoje, tão presente
O amor floresceu
O amanhã encontrará
Voce, o amor e eu!




Quem olha nos meus olhos, consegue ver a força do seu amor em mim!


Poeta de Cá

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Vento... Saudade... Distância...

video

Ah, se o vento me trouxesse voce!
Que me importaria a distancia?
Em qualquer canto do mundo
Eu te teria ao meu alcance!
Mas de voce só tenho a saudade
Que em mim a cada dia se agiganta
Que me aperta e que me maltrata
E me sufoca com um nó na garganta
Porque não sou uma borboleta?
Porque voce não está em todas as flores?
Te acharia em qualquer jardim
E teu néctar cessaria as minhas dores
Tudo as vezes me parece fantasia
Tempos e contratempos da história
Torna dificil cada um dos meus dias
Eu nem queria tê-los na memória...
Não quero crer que o "para sempre" termine
Se assim fosse, a esperança não deveria existir
Creio que o amor a tudo sustente
Espero tê-la... um dia te possuir!



Falar de um amor verdadeiro seria impossível se voce não existisse!

Lembrar de voce é trazer a emoção a flor da pele!

Poeta de Cá

Sob as estrelas


Sob as estrelas...
Nossos lábios se tocaram
Sob as estrelas...
Nossos corpos se acharam
As nossas curvas se encaixaram...
E o amor se fez!
A lua invejosa se escondeu
O silêncio foi quebrado pelos nossos sussurros
A brisa suave se confundiu com nossas caricias
Os mistérios da noite foram então desvendados quando descobri os seus segrêdos
E o amor se fez!
Sob as estrelas...
Os minutos foram lentamente passando
Sob as estrelas...
A madrugada companheira foi se aconchegando
A aurora enfeitou ainda mais o amor presente
Os primeiros raios do sol tocaram nossos corpos
As folhas úmidas pelo orvalho, sorriram
A natureza aliou-se a nossa cumplicidade
Porém... o amanhacer nos trouxe de volta a realidade
E o amor... se foi...



As doces lembranças de um passado distante, não se alteram com a realidade presente!


Poeta de Cá


sábado, 14 de agosto de 2010

Fotografia


Quando cai a neve...
Te tenho por um instante, muito breve
Natureza, estrada, tudo se mistura
Posso me perder nessa brancura
Mas quando visualizo a paisagem
Consigo encontrar sua imagem
Estampada na minha retina
Aumentando a minha adrenalina
Os trilhos na estrada são o seu amor
No frio gélido serão como uma flor
O universo de uma existência
Uma semente, a razão, o teor, a essência
A estrada não me diz o que vou descobrir
Porém sinto a minha dor diminuir
Além da curva o que encontrarei?
Será meu sol ou perdido estarei?
Será subida, descida ou um rio?
Haverá lá um grande desafio?
E as placas todas, onde estarão?
O dia segue ou há escuridão?
Vejo que o céu é branco como o chão
Não há estrelas pra se alcançar com a mão
Olho pras árvores e as vejo feridas
Mas sob a neve ainda reina a vida
E se há vida, existe esperança
De acreditar, de crer que se alcança
Seguindo em frente encontrarei voce?
Ou nada existe e tenho que esquecer?
Dos olhos meus uma lágrima saiu
Pra se juntar a neve que caiu...
Tudo isso vejo nessa  fotografia
E... as emoções ficam à revelia!



Quando olho pra dentro de mim e te encontro, percebo que apenas um olhar foi para toda a vida!


Poeta de Cá

Apenas uma tarde...

apenas uma tarde...
apenas um lugar
eu te vi, pressenti!
me apaixonei!

apenas um beijo
apenas um tocar
eu sorri, te senti
levitei! te amei!

o tempo, o olhar
num fim de tarde...
o aconchegar
nosso navegar
a sua respiração
puro êxtase
tudo transpiração
tudo então emoção!




Nunca te procurei, mas quando te encontrei, jamais te perdi de dentro de mim!

Poeta de Cà

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O poema que eu não escrevi

Eu já escrevi aproximadamente uns 150 poemas, mas entre tantos outros escritos por outros autores, existem alguns que eu gostaria muito que tivessem sido escritos por mim, porque me tocam, me sensibilizam e entre eles Por Ela é uma destas poesias que marcam pela sensibilidade, pela mensagem, pela inspiração! A melodia e o ritmo completam e dão forma a esta obra de primeira grandeza.


Por Ela
Autor e poeta   José Manuel Soto
Tradução e adaptação:  Biafra e Aloisio Reis

 Por Ela
 
 
Por Ela a beleza do sol e das madrugadas
Por Ela meus sonhos de amor e as noites amargas
Por Ela as palavras sabem virar poesias
Por Ela vira realidade minha fantasia

Por Ela cada despertar cada sentimento
As flores, a musica e o mar, a chuva e o vento
A luz, o calor, o fogo, a terra e a água
Por Ela a mais doce lembrança do corpo e da alma

Por Ela o amor, a dor, a paz e o tormento
Por Ela a ilusão e a sina de viver querendo
Por Ela eu olho aquela estrela que brilha no espaço
Por Ela o nascer do dia e a força do abraço

Por Ela eu vivo sempre só nessa longa estrada
Por Ela esse grito de amor e essa dor calada
Por Ela eu choro de alegria e canto de saudades
Por Ela o sol que vai nascer depois da tempestade

Por Ela as contradições e até os desvarios
Por Ela cada incensatez e cada desafio
As lágrimas caídas no rosto e também as delicias
Ciúmes, a fúria contida, depois as carícias

Por Ela tantas sensações a mais nos meus sentidos
Por Ela tantas emoções e um coração sofrido
Suspiros, ilusões, paixão, poemas e loucuras
E todas as frases de amor e as palavras mais puras

Por Ela o amor, a dor, a paz e o tormento
Por Ela a ilusão e a sina de viver querendo
Por Ela eu olho aquela estrela que brilha no espaço
Por Ela o nascer do dia e a força do abraço

Por Ela eu vivo sempre só nessa longa estrada
Por Ela esse grito de amor e a dor calada
Por Ela eu choro de alegria e canto de saudades
Por Ela o sol que vai nascer depois da tempestade




Por ela as palavras sabem virar poesia.
Por ela vira realidade a minha fantasia.



Poeta de Cá

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Fazenda Maluca

Há algum tempo atraz
Uma fazenda eu comprei
Paguei nela uma pechincha
Dinheiro economizei
Faço sempre bons negocios
Bem depressa eu calculei
Recupero rapidinho
O dinheiro que empreguei


Chamei todos os empregados
E conversei com a moçada
Quero que trabalhem serios
E eles deram risada
Confesso naquele instante
Fiquei sem entender nada
Mas na hora de colher
Que percebi a piada


Onde eu plantei batata
O que eu colhi foi feijão
No bananal do outro lado
A safra foi de mamão
A minha roça de milho
Lá em cima no espigão
Só me deu laranja lima
Ai, meu Deus que confusão!


Ao lado da casa grande
Há uma linda mangueira
Nela só dá abacate
Mais parece brincadeira
Os mamoeiros que existem
Bem pertinho da porteira
Há tres semanas atraz
Pareciam macieiras


Minha horta na fazenda
Pra regar fiz um esguicho
Fofei a terra e adubei
Plantei com muito capricho
Alface, couve, almeirão
Foi como jogar no lixo
Pois no lugar só nasceu
Picão, grama e carrapicho


Estou ficando maluco
Não sei mais o que fazer
Quando planto alguma coisa
É outra que vou colher
Ja não vendo nada antes
Pra não complicar depois
Quando eu investi na soja
O que colhi foi arroz


O meu lindo laranjal
Deu goiaba o ano inteiro
O cafezal deu banana
Deu jiló no limoeiro
Que vida mais complicada
Essa de ser fazendeiro
Eu vou plantar jornal velho
Pra ver se nasce dinheiro




Um certo dia, lá pelos anos 80, acordei com um espírito "moleque",  e ao pegar meu violão e  brincar com a poesia, nasceu essa moda de viola, pode?


Poeta de Cá

O gosto do seu beijo

Toda vez que eu te encontro
E se é pela manhã
O seu beijo tem o gosto
Saboroso da maçã
Se é no meio do dia
O sabor então varia
Pode ser de caramelo
Ou mesmo de hortelã
Fico imaginando a noite
Que sabor terá então
Será de abacaxi
De laranja ou de mamão?
Toda vez é uma surpresa
Torço então para que seja
O gostinho do limão!
Os batões que voce usa
Cada beijo me alucina
Tutti-frutti me seduz
O morango me fascina
Se apenas com seus beijos
Consegue me enlouquecer
Imagine as suas curvas
O que poderão fazer!!



Ao seu redor sou como um menino descobrindo os caminhos da vida!


Poeta de Cá

NOITE

a noite cai
a luz se vai
a madrugada se junta ao silêncio dos amantes
a lua quase apagada, incomodada
os sussurros constantes
vibrantes...


beijos, desejos
sonhos inquietos, indiscretos
o seu perfume, corpo arqueado, dominado!
palavras sem sentido aos ouvidos
você... eu... juntos...
pelo amor envolvidos!




A noite é a maior companheira dos amantes!


Poeta de Cá

Ei! Menina!

Ei! menina!
o seu jeito comportado
ja me deixou atiçado
voou a imaginação

me deixe admirado
com um andar descolado
que não me chame a atenção

Ei! menina!
sua boca desejada
chama para ser beijada
mesmo sem voce querer

seu olhar fotografou
o meu ego que pirou
na hora que vi voce.

Ei! menina!
o seu corpo é tão perfeito
provoca até preconceito
tira qualquer um do sério

seu falar meio inseguro
nesse seu jeitinho puro
é mesmo um grande misterio

Ei! menina!
até parece castigo
pois corro grande perigo
eu nem queria te notar

confesso não consegui
minha prudência traí
como é que eu vou ficar?




Quando o amor acaba, o príncipe volta a ser simples sapo!


Poeta de Cá

terça-feira, 10 de agosto de 2010

V I V E R

          Viver é a arte de enfrentar alegrias e tristezas, sempre com o mesmo espírito. Viver é a arte de acertar e errar, tirando daí lições para um amanhã melhor. Viver é ver, é sentir a bela composição do Criador em cada nascer e cada por do sol. Viver é ter lembranças, tanto recentes quanto longínquas e fazer delas bons momentos. Viver é ser solidário, participante, ser protetor e protegido, alimentar e ser alimentado, procurar ter todas as virtudes e porque não, até vícios, pois existem bons vícios. Viver é enfrentar desafios, as vezes perder e as vezes ganhar. Viver é não se deixar livar pelas circunstâncias, mas lutar, lutar sempre para se conseguir alcançar o ideal almejado.
          Viver é a arte de olhar para o verde das montanhas e se sentir parte dele, viver é definhar com ele, gritar como ele grita à mercê do homem, mas também florescer como ele floresce ao receber os raios do sol, o orvalho da noite, a leve e suave brisa da manhã. Viver é como diz certa canção, amar mais, sorrir mais e até chorar mais, aceitar a vida como ela é, caminhar de mãos dadas com ela, olhando e sentindo cada detalhe, aproveitando cada fagulha do tempo restante. Viver é saber que a vida não é como um simples objeto que se perde e pode ser recuperado, mas viver é ter a consciência , a noção exata de que a vida é parte integrante do todo e do tempo e que cada instante que se perde, jamais se pode recuperar.
          Viver nem sempre é ter mais, ser mais ou querer mais, mas, viver é muitas vezes ter menos, complicar menos e até mesmo, repito, como diz a canção, trabalhar menos, porque não? Viver é ser menos displicente, menos egoista, menos soberbo, sem contudo ser hipócrita. Viver é ser apenas humano, apenas gente, gente que chora, que ri, que canta, que vibra, sofre, que ouve e fala, olha e respira. Viver é simplesmente seguir, ser levados pelas emoções, é ter certezas e dúvidas de todo e qualquer sentimento e porque não, em certos momentos até das próprias convicções. Viver é ser grato, perdoador, amigo.
          Olhem para os pássaros no céu, como disse Jesus, eles não plantam nem fiam, mas Deus os alimenta. Eles simplesmente vivem, e assim como vivem, voam de uma árvore a outra. Nós igualmente, devemos também viver dia após dia com coragem, com confiança. Não há como ignorar riscos, perigos, dores, dificuldades e mesmo tragédias, mas com responsabilidade sigamos o caminho que a vida vai nos oferecendo.
          Enfim, viver é ter em si o amor de Deus, pois nele tudo se resume, tudo o que já foi dito, cantado ou escrito, ou mesmo ainda o que se poderá dizer, cantar ou escrever!




Poeta de Cá

Prelúdio de amor

O teu beijo me acende
O teu toque me seduz
Tendo teu corpo nas mãos
Teu sussurro me conduz
Voce adorável, sensível
Te pego como uma flor
Também me entrego a ti
Nosso prelúdio de amor!

Meus lábios roçam tuas curvas
Te tocando de mansinho
Apaixonada e entregue
Retribui com carinho
Na doçura dos teus beijos
Ainda encontro pudor
Em meia luz que envolve
Nosso prelúdio de amor!

É no calor das palavras
Num clima de envolvimento
Que o sentimento aflora
Pra vivermos o momento
Voce se faz minha vítima
Me faço teu predador
Desejos, pele eriçada
Nosso prelúdio de amor!

Então te sinto só minha
E voce me sente teu
Na nossa mútua entrega
Voce princesa, eu plebeu
É sonho se realizando
Deixo de ser sonhador
Passo viver o teu corpo
E sentir o teu sabor
Após o êxtase recomeça
Um novo prelúdio de amor!




O tempo dá forma a tudo, inclusive ao amor!


Poeta de Cá

Semelhança

Pela manhã vi um beija-flor
Voando veloz de flor em flor
Colhendo vida, pois vida é amor

Na força das asas consegui ver
A luz de cada amanhecer
Na eterna luta do sobreviver

Ao olhar para ele eu vi voce
A mesma força, o mesmo poder
Pra vencer os dias que irão nascer

Voce é forte por isso insiste
Vence barreiras nunca desiste
E dia após dia, voce persiste

Parece as vezes, vai desmoronar
Mas encontra forças pra continuar
Só pode ser Deus a te apoiar

Leoa e mulher, também menina
Tem hora certa pra ser felina
Eu sei, de alguns, és heroina!

Procura rir e jamais chorar
As vezes é dura em seu falar
Mas é muito meiga e sabe amar!





Feliz é aquele que não espera reconhecimento, pois jamais terá decepções!

Ter coragem é derrubar as cercas que nós mesmos erguemos ou deixamos que ergam ao nosso redor!


Poeta de Cá

Introspecção

O que é que eu faço com a saudade?
Me diga, ela é branca, negra ou colorida?
Ela me traz situações, imagens, sons e vida!
O que faço com essa atrevida?
O que é que eu faço sem voce?
Não quero ser como a folha que o vento arrancou
Como um sorriso que pra alguém, nada custou
Ou mesmo o meu rastro que o tempo apagou
Devo ou não tomar outro caminho?
Tenho eu a certeza que devo continuar?
Será que as dúvidas um dia irão acabar?
Ou serei interrompido antes de terminar?




O ser humano é apenas um estudante que morre sem saber tudo e vive sem saber nada (autor desconhecido)

Na vida, muitas vezes deixamos que nossos medos e nossas inseguranças decidam por nós. Isso pode ter consequências terriveis!


Poeta de Cá

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Atração

video



Seu perfume me envolve
Seu corpo queima de amor
Voce assim seminua
Se retrai, tem pudor
Sua camisola branca
Faz mais forte a atração
Sua pele tão suave
Não resisto a tentação
E então...
Penetro nesta floresta
Fonte gostosa de festa
Não me canso de te amar
Me perco nos seus cabelos
Seus gemidos, seus apelos
Não quero mais me encontrar
No seu corpo
Cada curva enfim
Diz pra mim não deixar
De te amar
De te amar!!



Mais um poema que é uma canção. Nasceu dela e para ela, a mulher amada!

Já nem sei se voce é o sonho que tenho que alcançar ou se para alcançá-la preciso sonhar!!


Poeta De Cá

Dois

Sorriso aberto
Caminho incerto
Uma história de luar encantado
De cores, luzes, sem deserto
De um doce encanto enluarado

Olhar profundo
Uniu dois mundos
Palavras se juntam a melodia
Vida, tempo, hora, segundos
Na mais perfeita sintonia

Dois corações
Tantas ilusões
Um, lágrimas já sem passado
Outro, esperanças sem decepções
Agora juntos, lado a lado!




O hoje se situa entre dois nadas, o ontem que não mais existe e o amanhã que não sabemos se chegará. Sendo assim, o hoje é nossa eternidade, desfrute-o, viva-o!!


Poeta de Cá

Pedacinhos



video

Nas lembranças
Pedacinhos de uma vida
Por um tempo escondida
Que dentro de mim ficou

Seus olhos
Pedacinhos de voce
Que eu nunca pude esquecer
Foi tudo que me restou

Uma rua
Pedacinhos de um caminho
Onde olhares com carinho
Um sentimento floresceu

Num portão
Pedacinhos de um instante
O beijo mais importante
Amor que jamais morreu

A canção
Pedacinhos de saudade
Que fala de uma verdade
Eu continuei a ter voce

O silêncio
Tem pedacinhos de mim
Sempre repetindo assim
E na distancia...
Morro todo dia sem voce saber



Que tudo que eu escreva seja inspirado pelo amor que sinto, porque metade de mim é poesia, a outra metade é voce!



Poeta de Cá

Criança

Criança
Criatura inocente
Necessita de atenção
Todo carinho da gente
Só o amor ela deve receber
Ser cercada de carinho
Para sem traumas crescer
Porém...
Pessoas sem consciência
As maltratam e humilham
Abusam da inocência
São tantas por aí abandonadas
Jogadas a própria sorte
Crescem tristes, revoltadas

Criança
Frágil como uma flor
Rica, pobre, negra ou branca
Dê a ela muito amor!



Esse poema é na verdade uma canção que nasceu após eu ter visto o tratamento que certas crianças recebiam.


Corajoso é todo aquele que consegue se encontrar com seus próprios defeitos e procura muda-los dentro do possivel!


Poeta de Cá