A poesia está em todos os lugares, basta olhar não apenas com os olhos, mas olhar também com o coração!!!


Sou e serei sempre um eterno sonhador!!!





VOCE VISITANTE, É SEMPRE BEM VINDO!!!





quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O rosto de Deus

Envolto em grandes nuvens
Sendo expressado pelo vento
Em um sabiá que gorjeia
Num aperto de mão, cumprimento
Em uma criança que sorri
No azul do firmamento
Nas vitimas de preconceitos
Na alegria de um nascimento
No mendigo abandonado
Na luz do entendimento
Nas camas dos hospitais
Nos anjos que dão atendimento
Quando a justiça se faz
Em um reto julgamento
Na mão que está estendida
Em um nobre sentimento
No amor que é derramado
Em tudo que serve de alento
Na amizade de um vizinho
Na hora do sofrimento
Encontramos o rosto de Deus
Em cada um destes momentos!


Quantas vezes procuramos Deus nos lugares onde as pessoas dizem que iremos encontra-lo. Na verdade encontramos Deus nas favelas, nos presidios, nos hospitais, na mão estendida, numa flor que desabrocha...
Enfim Deus é encontrado onde menos se espera!


Poeta de Cá

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Amantes

Um cheiro gostoso de amor pelo ar
Seu corpo cansado quer continuar
É voce em chamas querendo carícias
E novamente me entrego
Sem mais resistências
As suas malicias


Os carinhos ousados
Com seus lábios molhados
Cada beijo produz
Os mais doces delírios
Em meu corpo entregue
Sob tênue luz


Não importa se é noite ou dia lá fora
As estrelas , o sol, nem tampouco a hora
Se é fim de tarde ou mesmo se amanhace
Só importa nós dois
Sob a colcha macia
Que é cúmplice e aquece


Suas curvas sensíveis
São caminhos incríveis
Que só tem um final
Num suave contato
Nossos corpos alcançam
O êxtase total!




O instante da entrega deve ser total, sem restrições, com todo nosso ser!


Poeta de Cá

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Mulher!

Mulher! Um ser tão importante!
É como a vida sendo desvendada
Existem dias que ela é tão simples
Porém em alguns é tão complicada...



Mas temos(nós homens) necessidade delas!


Poeta de Cá

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A Fotografia

A escura noite chegou
Ao termino de mais um dia
Sou impelido a caminhar
Pela coruja que pia
Ecos na minha cabeça
Dificultam a travessia
Da realidade ao sonho
Perdeu-se toda magia
Voce não está mais aqui
Já não sei o que é fantasia
E a imensa avenida
Encheu-se de nostalgia
O vento que toca meu rosto
De leve me acaricia
Parece querer ver em mim
Uma nova euforia
Mas eu só tenho na alma
Enorme melancolia
Olho o que sobrou de voce
Apenas uma fotografia!



As vezes apenas uma pequena foto que sobrou, aquece o coração no mais frio inverno da alma!

Poeta de Cá

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Desfecho

O elo foi assim quebrado
E o amor foi ceifado
Tendo o fim antecipado
De um horizonte ainda inexplorado


Tudo então se desfez
Tudo de uma só vez
Sem restar nem o talvez


Foi-se a inspiração
O céu veio para o chão
Da luz fez-se a escuridão
Sobrando só a solidão



Do fim faz-se a solidão!


Poeta de Cá

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Recordando

Recordo seus cabelos ao vento
que trazem lembranças constantes
mexendo com meus sentimentos
de um jeito muito extravagante
saudades de tantos momentos
alguns pálidos, outros brilhantes
vivi todos com muito alento
e o frenesí de cada instante


O sol sempre era presente
o amor rolava pelo ar
o todo era muito envolvente
e tão puro nosso jeito de amar
seu beijo era quase inocente
fazendo meu coração disparar
e como jorra um rio na nascente
te amei sem medo de errar


O falar nem era preciso
vivíamos toda plenitude
com gestos, olhares, sorrisos
no frescor dessa juventude
em silencio hoje até ironizo
essas e outras tantas virtudes
pois saudoso ainda memorizo
todas as nossas atitudes


Diz o ditado: Recordar é viver novamente! To de pleno acordo!

Poeta de Cá

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Loucura

Loucura!
É sentir seu olhar sobre mim
Me queimando num fogo sem fim
E não vê-lo nunca se apagar
Loucura!
É sentir o seu toque tão terno
Me levando do céu ao inferno
Num momento de êxtase, te amar!


Loucura!
É tocar os meus lábios nos seus
Me sentir como um semideus
E me perder dentro desta euforia
Loucura!
É desfrutar o seu imenso amor
Ter seu néctar com um beija-flor
E descobrir que isso é tudo utopia!


O amor as vezes é quase uma utopia!



Poeta de Cá

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Preso em mim mesmo

Estou coberto de cinzas
Preso em um imenso vazio
Sentimentos conflitantes
Me dando até calafrios
A paz se misturou a outras cores
Sem esperanças, tenho arrepios


E quando se está aqui dentro
O silencio é um pouco extenso
O tempo já não passa, é lento
Da vida não há fragmentos
Se a tinta parece um pouco forte
É real, mas por certo eu aguento!


Se agora estou sem norte
Em um caminho incerto
Perdi sua voz para o silencio
As lágrimas para o deserto
Sei, me tornei um prisioneiro
Preso em um ambiente aberto...



Pior que estar preso, é prender-se em ambientes abertos!(autor desconhecido)


Poeta de Cá

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Minhe Metade

A mulher que eu amo
Tem a pele mais bonita
Tem o cheiro que eu gosto
E cada curva me excita
Sua voz é harmonia
Tem mãos leves e macia
Ao me fazer um carinho
Minha pele arrepia
Estou sempre ao seu lado
No seu colo ou no seu leito
Ela é minha metade
Me completa com seu jeito
Permite que eu seja eu
Me dá seu amor sem fim
Está colada em minha pele
E vive dentro de mim


Eu e ela
E tudo fica perfeito
E tudo então se completa
Em nada existe defeito
É a dona dos meus sonhos
Rainha do meu pensar
Eu vivo se ela vive
Sei que sempre irá me amar
Ela é meu por do sol
Também meu emanhecer
Ela irradia meiguice
Magia no meu viver
Se a amei no passado
E a amo no presente
Olhando para o futuro
A amarei eternamente...


Quem olha para mim te vê, pois voce está estampada na retina dos meus olhos!

Poeta de Cá

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Teu corpo

Nem todos os rios correm para o mar
Nem todo espinho vai te machucar
Nem todas as pedras ficam no lugar
Nem todo perfume se deve cheirar
Mas todo teu corpo eu quero tocar


Nem todo pássaro nasceu pra cantar
Nem todo caminho devemos andar
Nem todas as lágrimas devemos chorar
Nem todas as frutas devemos provar
Mas todo teu corpo eu quero amar


Nem todo ruim é ruim demais
Nem todas as histórias tem belos finais
Nem todo passado se deixa pra tras
Nem todo remedio é sempre eficaz
Mas todo teu corpo é que me satisfaz


Nem todas as lutas se deve vencer
Nem toda verdade se deve dizer
Nem toda comida se deve comer
Nem todas as unhas se deve roer
Mas todo teu corpo eu quero viver


Nem toda escada se deve subir
Nem toda vitória nos leva a sorrir
Nem todo tesouro pode se possuir
Nem todo o mal deve se proibir
Mas todo teu corpo eu quero medir


Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada, mesmo que distante, porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade (autor Osvaldo Montenegro)

Que tudo que eu escreva seja inspirado pelo amor que sinto, porque metade de mim é poesia e a outra metade é voce! (peguei carona)

Poeta de Cá

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Vida

Sei que a vida é um dom
E nela está nossa história
O que se escreveu até hoje
Está na nossa memória
Quem conhece o amanhã?
Perdi ou terei vitória?

Todas as lágrimas eu podei
As que caíram floresceram
Eu busquei as motivações
E os sorrisos então cresceram
Eu não quis se devorado
Pois por sofrer muitos morreram

Alguns ficam pela estrada
A vida não é como uma canção
Que as vezes se muda a letra
Sem se prejudicar o refrão
Cicatrizes se fazem pelo caminho
Não importa qual seja a estação


Viver é a arte de transpor obstáculos como fazem os rios.


Poeta de Cá

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Jesus


Eu existo e dou descanso
Abrigo nas tempestades
Na dor te dou meu conforto
Te mostro a realidade
Voce nunca está sozinho
Mesmo na fatalidade

Te ensino o meu caminho
Sou Palavra que liberta
Todo meu amor é seu
Companheiro em hora incerta
Eu enxugo as sua lágrimas
Sou sempre uma porta aberta

Para alguns, sou só história
Para outros a verdade
Alguns dizem que sou lenda
Outros, a eternidade
Se há quem cuspa em meu nome
Há quem viva fraternidade

Eu sou maior que o universo
Mas entro em seu coração
Eu te ensino a viver
Ilumino a escuridão
Salvo voce de si mesmo
Te dou nova direção

Sou amigo dos excluídos
Do que está cego sou luz
Eu sou a paz que precisam
O amor maior que conduz
Sou filho do Deus altíssimo
Sou vida, Eu Sou Jesus!!




Vinde a mim vós que estas cansados e oprimidos e vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de  mim que sou manso e humilde de coração e achareis descanso para vossas almas. Pois meu fardo é leve e meu jugo é suave. (Mateus 11:28,29,30)



As imagens do filme no clip são apenas as "imagens" que o autor e diretor(Mel Gibson)pode mostrar, pois na verdade quem conhece ou pesquisa sobre aquela época, sabe do horror e que o castigo antes e durante a crucificação, eram muito, mas muito pior que as imagens que este ou qualquer outro filme possam nos mostrar e se estas imagens já chocaram e causaram tantas controvérsias, imaginemos as imagens reais!

Eu nem consegui assistir o filme todo, fico imaginando quem viu as imagens reais!



Poeta de Cá  

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Sonho real?

sabe, pensar em voce é algo que não quero parar
gosto de pensar no dia em irei te tocar
e eu sei que esse toque será muito especial
e voce saberá que esse toque não é e nem nunca será natural
vou te estreitar em meus braços e te farei viver
tenho certeza que esse momento voce jamais irá esquecer
minha boca na sua eu quero e irei sentir
então toda voce, toda, toda eu irei possuir
te sentir entregue é o que mais quero
um momento assim há tanto eu espero
intantes assim é o que te proponho
serão reais e não mais apenas um sonho
amá-la eternamente é o que eu almejo
com carinho, ternura e tambem desejo
ver no seu olhar a vida brilhando
e te fazer feliz... e sempre sempre te amando!



Quantas vezes os sonhos são acompanhados de grandes decepções?  Muitas!!


Poeta de Cá 

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Um tempo para tudo


       Ontem, folheando a Bíblia, me deparei com tres versículos do livro de Eclesiastes e lá diz haver tempo para todas as coisas. Por um instante levantei os olhos e vi através da janela, os galhos e as folhas das árvores sendo balançados pelo vento da primavera, um vento brando, sereno, se misturando a brisa do verão já quase presente. 
       Então comecei a pensar, e me perguntei: Se há tempo para todas as coisas, porque desperdiçamos esse tempo fazendo tudo ao contrário?
       Se há tempo para ensinar... Então porque não procuramos aprender antes? Se há tempo para amar... Porque vivemos nos odiando? Se há tempo para ouvir... Porque não conseguimos ficar calados? Se há tempo para guerra... Então porque não promovemos a reconciliação para que a guerra não mais aconteça? Se há tempo para grandes colheitas... Então porque tantos passam fome? Se há tempo para estendermos a mão para levantarmos o que está caido... Porque então o pisamos e o afligimos ainda mais? Se há tempo para agradecer... Porque só conseguimos pedir? Será que nunca estamos satisfeitos? Será que os nossos desejos nunca serão saciados? Se há tempo para podermos admirar em todas as cores... Então porque só conseguimos ver em preto e branco? Será que os nossos olhos estão embaçados como o nosso coração? Se há tempo para se arrancar o que se plantou... Porque então não preparamos a terra para plantarmos novamente? Se há tempo para nascer... Porque morremos a cada instante?
       Por favor, não questione as minhas perguntas, não estou procurando razão ou lógica para nenhuma delas, apenas deixo que elas venham a minha mente, e se realmente há tempo para todas as coisa, certamente, tambem há tempo para perguntar e, quem sabe, encontrar respostas. Voce as tem? tente!!
       Se há tempo para todas as coisas... Então deverá haver um tempo pra mim e pra voce.
      Haverá um tempo para o nosso amor?


Poeta de Cá

Sob seu dominio

Queria tanto dançar com voce pela vida afora
Sem necessidade de olhar para o futuro
E te ter em meus braços como tive outrora
Sem olhar para o amanhã ainda escuro
Sem preocupações com o final da noite e a chegada da aurora
Nem senitr-me jamais inseguro
Mas estar rodeado por voce, dominadora
Me sentir como alguem ainda imaturo
E ser protegido por voce a todo instante, a toda hora
Ser tratado como intangivel e obscuro
E te tendo como minha provedora
Voce, minha defesa, minha proteção, meu muro
A minha dama, a minha dona e servidora
Vem! Derrama em mim o seu mel mais puro!



O coração bate descompassadamente quando se encontra o amor e a pessoa certa, descobrimos isso olhando um para o outro e vendo os mesmos sentimentos, a mesma ansiedade, a mesma procura, mesma insegurança, mesmo desejo, mesma ideal, mesmo modo de pensar, mesmo tudo. Aí então a entrega pode ser mútua e total!


Poeta de Cá 

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Meu rio

Bem no meio do deserto
O meu rio eu encontrei
E o vento vindo do norte
Depois disso nem notei

Meu mundo se transformou
Em um enorme jardim
E assim um novo Eden
Se formou dentro de mim

Vivendo o preto e branco
De uma vida apagada
Onde tudo é penumbra
E não se enxerga quase nada

Suas águas trouxeram vida
A agua que estava parada
A visão de agora em diante
Jamais será embaçada

Novas flores floresceram
Ao longo do meu caminho
Houve um novo despertar
Sob o som de passarinhos

A inércia foi quebrada
Na ribalta então vivida
Um novo ato se escreveu
No script da vida



Percorri um caminho solitário. Tentei, tentei, mas na jornada eu me perdi. Te ilustrei no meu imaginário. Mas o perfeito na verdade, eu nunca vivi...

Poeta de Cá

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Decepções



Vou de encontro ao mar
As ondas não quero ver
No claro azul do fundo,
procuro me esconder do mundo
Porque tanta imundice
tão próxima da superfície
e tão junto ao entardecer?
Não sei se acharei respostas,
mas mesmo assim vou tentar,
as relações são instáveis, pessoas também,
mesmo se sinceras, tudo se espera
Será que me pareço com alguém?
Quero perder a noção do acontecer,
nada sei de ninguém e de voce fico aquém
Porque as flores morrem?
A chama da vida foi molhada,
flutuei, mas com a chuva, o que sobrou foi nada
Como ter vocação pra conviver?
Se trago pra mais perto o horizonte,
ele se turva, perco o fôlego
Talvez o futuro me desaponte
e então quando o intuir aflora,
percebo, não há passado nem presente
O tempo leva tudo embora!



Do amor perfeito as vezes só sobram lembranças, imaginações!! Sinal de que não era tão perfeito assim...


Poeta da Cá 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Primeiro amor

Eramos ainda tão jovens
Meu olhar encontrou o seu
Seu fascínio me envolveu
Não tive como resistir
E só consegui sorrir
Você princesa e eu plebeu


Voce, meu primeiro amor
Eu era um sol sem lua
Voce me disse, sou sua
E ao sentir o seu abraço
Me envolvi entre seus laços
Te dei minha alma nua


Sob o vento do nosso outono
Voce rosa ainda em botão
Venceu o meu coração
Se tornou meu sonho utópico
Também meu jardim exótico
Fada da minha emoção


Quando se fala do primeiro amor, a janela do tempo se abre diante de nós, sentimos o coração apertado e quase sem querer nos emocionamos.

Poeta de Cá

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Incoerências

Eu tenho sentido ciúmes do sol
Porque ele tem tocado os seus cabelos
Sei que tenho tido contendas com o vento
Que não tem ouvido em nada meus apelos
E se no banho a água que escorre teu corpo
Tem sido pra mim tortura e flagelo
É assim que sou, é assim que amo
Excessos de cuidado e com muito zelo


Eu queria mesmo trilhar as suas praias
E te adornar com belas estrelas do mar
Realçar o teu corpo com conchas coloridas
E seus cabelos louros nas ondas mergulhar
E assim te mostrando a minha incoerência
Não te deixar sair sob a luz do luar
Brigar constantemente com meu bobo ciúme
Mas em versos, poesias, poder te expressar


Eu também queria te amar milhas e milhas
Desde a madrugada até o anoitecer
Misturar o ontem, o hoje, e o amanhã
E conhecer o que é poder desfalecer
Mapear seus rios, veredas, labirintos
Transpor os sonhos, saber sobreviver
Intuir, obstinar, traçar um novo tempo
Ousar o inesperado, sem nenhum medo te querer!



Se aspiro sentimentos puros, concordo que o amor verdadeiro dá liberdade a pessoa amada, porém muitas vezes o ciume nos torna incoerentes!

Poeta de Cá

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Os meus "is"

Eu nunca tive tudo que quis,
desde os meus sonhos mais infantis
e se nem por isso fui infeliz,
é porque a vida fez de mim um aprendiz,
para andar por caminhos alegres ou hostis
e até rir dos espertos "imbecis",
pois sempre soube onde "por" o meu nariz.
Não sendo alguém de dura cerviz
sei, trago da vida alguma cicatriz.
Isso me ensinou a ser meu próprio juiz
e mesmo se minha incoerência me contradiz,
procuro sempre a cada dia ser feliz!


A vida está sempre pronta a nos ensinar, o problema é que nem sempre nos dispomos a aprender!


Poeta de Cá  

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Nova Flor

Na minha vida, por entre as flores que passei
no meio delas, um certo dia encontrei
uma tão bela facinante e diferente que me emocionei


Tinha um brilho que era algo muito especial
pois refletia um amanhecer como nunca vi igual
e era assim o foco principal, real e natural


Nesse jardim outras belas flores também existiam
mas como ela, as outras jamais brilhariam
pois as tempestades as outras não resistiriam


Seu florescer sempre foi em toda estação
outono, inverno, primavera ou no verão
na ira, na lágrima, no riso ou na decepção


Uma flor tão forte e tão bela como a luz do sol
os seus encantos e a sua força atrairam até o rouxinol
que como eu foi fisgado como peixe no anzol




Certas passagens da nossa vida estão estampadas na nossa mente e no nosso coração, como uma fotografia que nunca irá envelhecer nem amarelar!





Poeta de Cá

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Jardim

No dia que eu te vi
No instante descobri
Em voce o meu jardim
O amor vi florescer
Como um lindo amanhacer
De um êxtase sem fim
Me achei no seu olhar
Sempre quis te encontrar
Era jovem e bem me lembro
Com lindas rosas sortidas
De orvalho, bem floridas
Nas belas manhãs de setembro
Seu olhar cruzou com o meu
O meu sangue então ferveu
E como a chuva molha a terra
Que faz nascer a semente
E o amor se fez presente
Como despojo de guerra
Nos seus canteiros perfeitos
Em nada encontrei defeitos
Sensiveis e bem cuidados
Tudo neles tem mais vida
Cravos, dálias, margaridas
Também um belo gramado
Lírios, orquídeas, camélias
Copos de leite e bromélias
Tudo é especial pra mim
Vou cuidar com muito amor
Do todo e de cada flor
E bem mais de voce meu jasmim



Apesar dos espinhos, as rosas enfeitam ainda mais os jardins, principalmente, os da vida de cada um de nós!


Poeta de Cá

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Quatro estações

Na chegada do inverno
É o verão que me aquece
No outono é a primavera
Com flores, nunca me esquece

Chegando bem de mansinho
Sempre no alto verão
Seu frio de inverno controla
Meu ardente coração

Na mais bela primavera
Como outono voce vem
Trazendo seus dias cinzas                      
Mas que encantam também

Voce controla meus dias
E suas definições
Na verdade voce é
Juntas, "minhas" quatros estações!


Diante de tantas definições que se dá ao amor, resumi numa só palavra... Voce!



00297040.gif00297043.gif00236412.gif


Poeta de Cá    

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Poder sem punição

O poder corrompe e engana
Compra tudo ou afana
O ignorante ou doutor
No poder não há cautela
No planalto ou na favela
Tudo é do predador

Seduzem com suas mensagens
Desmentem a própria imagem
Mostram o caráter e então
Matam de armas na mão
Ou bêbados na direção
Ficando sem punição

Festa em Brasília, nas ruas, balas perdidas
Mulheres mortas, estupradas e feridas
A lei "funciona" para não punir ninguém
Com seu jeitinho sempre a favor de "alguém"
CPIs, DOSSIÊs, propinas e caixa dois
A pizza é agora ou depois?
A piedade que se vê é pervertida                         
Sempre a favor de si mesmo
Nunca a favor da vida!


ACORDA BRASIL!!!!


Parece que estamos num sono eterno!  Quando é que vamos acordar????


Poeta de Cá

Triste



Triste é a um aceno de adeus
Tristes são os passos de quem vai
Triste é o silencio que maltrata
Triste é a saudade ingrata
Triste é toda lágrima que cai

Dos seus passos ficaram o som e os rastros
Sobraram lembranças dos doces abraços
Dos beijos mais loucos cortou-se os laços
Das fotos desbotadas pelo tempo,
restaram apenas leves traços!



Toda partida antecipa a saudade. Como diz Osvaldo Montenegro: Será que é o trem que passou, ou passou quem fica na estação?


Poeta de Cá

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Te amo loucamente

Por nascer pra te querer
Por muito amar voce
Queria ser transcendente
Pois apesar da distância
O meu amor te alcança
Eu te amo loucamente


Te amei assim que te vi
Nunca mais te esqueci
Meu amor é permanente
Quem olha em mim te vê
Meu reflexo é voce
Pois te amo loucamente


Te farei sempre amada
Como num conto de fadas
Com um amor sempre ardente
Ultrapassando a razão
Indo além da perfeição
Pois te amo loucamente


Meu amor por ti, querida
Vai muito além desta vida
Habita em mim eternamente
Mesmo estando tão distante
Vive voce cada instante
Pois te amo loucamente




Quem ama verdadeiramente sabe exatamente do que estou falando.


Poeta de Cá

Pelas manhãs

O vento matinal toca meu rosto
E o sol nascente me aquece
Na boca tenho do seu beijo o gosto
O gosto de quem nunca te esquece


As manhãs falam sempre de voce
E o seu cheiro me é trazido pela brisa
Um canário canta ao longe e sem querer
Traz sua voz que em meus ouvidos desliza




Não quero ser algo novo na sua vida, apenas quero dobrar a esquina do seu mundo e deixar a sensação de que jamais serei esquecido.(desconheço o autor da frase)


Poeta de Cá

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Caminhando


percorrendo a imensa praia
meus pés e a areia, afinidade
em passos calmos fito o horizonte
liberdade, liberdade!
se o vento me traz lembranças
peito aberto olho o mar
sem sofismas, eu vou... vou caminhar
não tenho medo da saudade!

se uma onda me alcança
penso, prenúncio de tempestade?
sem preocupações eu vou...
sem pressa, naturalidade
se "paradigma" hoje é modismo
o que temo afinal?
se me molhar, qual o mal?
vivo a minha verdade!

espírito livre, vida leve!
as cores do horizonte me fascinam
acolho o insólito, enfrento a dor
os altruistas sempre me ensinam
eu vou... sei, não sou um predador
se alço voo com as gaivotas
pescar? as chances são remotas
pressa? vida e pressa não combinam

Eu vou...
Simplesmente te busco...
Sempre te buscando amor!



Poeta de Cá

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A estrada

voce é minha estrada
em ti quero trafegar
sua sinalização
irei sempre respeitar
e todos os seus pedágios
com prazer irei pagar


em suas belas descidas
vou andar bem devagar
aproveitando o cuidado
pra desfrutar do lugar
detalhes de cada trecho
saberei apreciar


suas curvas perigosas
irão me desafiar
pois sendo bom motorista
o desafio vou topar
mas confesso que em algumas delas
por certo irei derrapar


nessa estrada a qualquer hora
é muito bom trafegar
se na chuva ou na neblina
não vou parar de rodar
fazendo muitas viagens
não quero nem descansar


eu sei que as suas pistas
muito bem sinalizadas
tem um asfalto perfeito
com pontes bem projetadas
restaurantes em suas margens
tem comidas apimentadas


é uma estrada segura
ela adoro percorrer
ando com todo cuidado
pra acidentes não sofrer
preservando todo o trecho
sei bem como isso fazer


uma estrada assim perfeita
mais parece uma miragem
com montes, vales e fontes
enfeitando a paisagem
nela ando todo dia
e amo cada viagem!




A poesia está em todo lugar que olhamos, para vê-la, depende de como olhamos, se apenas com os olhos ou também com o coração!!!


Poeta de Cá

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Seu toque

O seu toque me acende
Pois só voce me entende
Sabe bem o que fazer
Cada toque tem resposta
Eu sei, voce tambem gosta
De dar, tambem receber


O seu toque me atiça
Minha pele se eriça
Sinto grandes arrepios
Todo ponto é diferente
Cada lugar é mais quente
Aceito seus desafios


Com seu jeito de menina
Que cativa e que fascina
Torna tudo mais bonito
Sinto o toque dos seus dedos
Que libertam dos meus medos
E resolvem meus conflitos


Depois que seus labios me acham
E nossas formas se encaixam
Sem ter mais nenhum pudor
Sinto meu corpo tremer
É como se eu fosse morrer
Envolvido em seu sabor



Aquele que ama sente o toque da pessoa amada de uma forma muito, mas muito especial mesmo!   Saiba tocar e ser tocado!!!


Poeta de Cá

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Max
















Um amor incondicional
Uma amizade especial
Sentimento sem igual


Me entende como ninguem
Se estou triste, ele também
Somos um do outro refém


Alegre e inteligente
Folgado, mas obediente
Sempre ao meu lado presente


Momentos mudam, nada permanece
Se a ira em mim acontece
O seu amor prevalece


 Amigo, meu grande amigo
  Só voce pra amar assim
   Não olha os meus defeitos
    Em ti não há preconceitos
     Está sempre junto de mim
      Amigo, meu grande amigo
       Sua amizade é sem fim
        Está sempre me seguindo
         Pressente o que estou sentindo
          Sabe se é bom ou ruim













Como diz Milton Nascimento, amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito, mesmo que o tempo e a distância digam não, mesmo esquecendo a canção. O que importa é ouvir a voz do coração!


Poeta de Cá

O seu jeito especial

           Voce se faz tão linda
          Em tudo o que me diz
         Em tudo o quanto me faz
        Pra que eu possa ser feliz
       Em gestos ou em palavras
      Sou sempre seu aprendiz
     Qualquer tempo ou lugar
    Sabe ser o que preciso
   Ilumina as minhas trevas
  Em momentos indecisos
 Ao segurar minhas mãos
Me aviva com seu sorriso


           Ao me fazer um carinho
          Com seu jeito especial
         Sinto todo seu amor
        De uma forma natural
       No seu beijo está contido
      Uma meiguice sem igual
     Seu olhar me faz sentir
    Livre e solto como o vento
   Como o amanhecer que chega
  Com seus pardais barulhentos
 Trazendo um sol que enfeita
Um céu ainda cinzento



Sua sensibilidade me faz refletir sobre coisas que jamais imaginei, por isso, me tenha sempre juntinho do seu coração!!


Poeta de Cá

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Coração

Coração!
um delirio, exaltação!

Coração!
um sentimento, sensação!

Coração!
onde entra a razão?
o viver é tão complicado
como um dado viciado
que anda de mão em mão

Coração!
amar é minha verdade
te encontrarei na realidade
nos limites escuros da eternidade
vivendo a mesma paixão?

Coração!
a estrada é quase finda
será que existe ainda
alguém que também sinta
um amor com tanta emoção?



Diz-se que o coração é enganoso, mas quem é que não quer fazê-lo feliz?
Quem?


Poeta de Cá