A poesia está em todos os lugares, basta olhar não apenas com os olhos, mas olhar também com o coração!!!


Sou e serei sempre um eterno sonhador!!!





VOCE VISITANTE, É SEMPRE BEM VINDO!!!





quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Presença

video

Quando voce me fala,
me olha, tudo se transforma
Se sua mão me toca, arrepio...
Me olhe, me toque, fica comigo
Sem voce tudo é muito vazio,
tudo muito frio...
A solidão se faz presente,
e por mais que eu tente, nada é completo.
Quero ser inteiro novamente!
A escuridão me aperta... desperta!
Meus passos vacilam, a alma está fria
A angústia prendeu-me, vem, me liberta!
Sussurre, grite, me traga alegria!
A sua presença afasta o silêncio...
Minha companhia.
Ah, como dói não ter seus beijos!
Queria tanto não ter esse sentimento...
É melhor permanecer vazio,
vazio por dentro!
Não se afaste, ou a sua falta tomará conta de mim!
Não me deixe ser levado pela inércia
O tempo parou, seu amor acabou?
Não deixe seu amor morrer...
Ele é parte da vida e do tempo
Deixe-me regá-lo, fazê-lo florescer!
Deixe que eu te descubra nos seus sentimentos
Nas palavras soltas, sem medos
Pois elas brotam na nossa imaginação
e também nas pontas dos meus dedos!
É voce numa tela, amarela!
Sem jamais ser esquecida,
contida!
Não impeça a vontade de me trazer o seu sorriso...
Paraiso!
Sua presença está na minha memória
Faça-se em mim!
Complete a nossa história!!!



A angústia é como um relógio quebrado na mais profunda escuridão da alma, onde a alvorada parece nunca chegar!

Senza il tuo amore non c'è domani!


Poeta de Cá

Voce e as quatro estações

Na primavera eu senti teu olhar
Em meio as flores eu te reconheci
Cada botão tinha nele seu rosto
E eu te amei, assim eu reviví


Se o verão me trouxesse voce
No fim do outono eu te veria chegar
E no inverno adormecido em seus carinhos
Só na primavera eu iria acordar




As vezes nos escondemos da realidade para vivermos o imaginário! Nesse imaginário, tudo é possivel!


Poeta de Cá

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Resumindo...

Ando me sintindo meio frustrado!
Decepcionado...
Isso me deixa bastante desanimado
é como se o mundo tivesse parado
e eu fosse por mim mesmo rejeitado.
Parece que nada tem mudado
e mais uma vez posso ter me enganado...
Papo furado!
Eu ja devia estar acostumado!
O mundo é o mesmo desde quando foi criado
e o ser humano também, alienado,
preso ao seu próprio "eu" centralizado
Sabe, eu devia ter parado e pensado...
Será que eu sou diferenciado?
Que nada!
Defeito nos outros é mais facil de ser notado,
não olho 'pros' meus, para não ficar chocado
mas nem por isso devo ficar chateado
e nem me sentir marginalizado,
tampouco um maior abandonado!!




A vida é cheia de surpresas. As vezes, parece que encontramos um príncipe encantado, depois do primeiro impacto, acabamos vendo que não passa apenas de mais um simples sapo!  hehe!!


Poeta de Cá

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Em mim

Te levo comigo aonde vou
No meu coração, onde estou
De todo meu ser voce se apossou
E de mim mesmo nada, nada sobrou


Está em mim e nos meus pensamentos
Te incluo em todos os meus argumentos
Vive nas fagulhas de cada momento
Se alegres ou mesmo dos meus sofrimentos


Está sempre comigo por toda a viagem
Em tudo eu vejo tua imagem
Contida dentro de cada paisagem
E também nas palavras de toda mensagem


Voce é meu corpo, minh'alma e coração
Transborda em mim emoção e razão
É como a música, poesia, canção
Um encanto, magia, uma grande explosão!



Sua sensibilidade me faz refletir sobre coisas que jamais imaginei, por isso, me tenha sempre juntinho do seu coração!


Poeta de Cá

Distante

E o sol assim se foi...
O céu em cinza se tornou
O mar tão calmo se agitou
E o amor aconteceu em nós!


Palavras... foram mil
Preencheram o vazio
Que sempre existiu
Por sermos sempre sós!


Se o sol pudesse então
Transpor o seu clarão
E estar aqui no chão
Sem se fazer atroz!


Com ele eu estaria
E por certo ficaria
À mercê da euforia
Só pra ouvir a sua voz!




Só o fato de voce existir, é motivo suficiente para que o sol brilhe nas minhas manhãs!!
 
Poeta de Cá

Ainda que...

video

Ainda que...
Voce nunca me notasse
Ou teu olhar com o meu jamais se cruzasse
Eu te amaria mesmo sem voce saber
E te levaria em mim até morrer!


Ainda que...
A tua voz eu jamais ouvisse
E o teu gosto num beijo eu nunca sentisse
Tua ternura não daria pra esquecer
E te levaria em mim até morrer!


Ainda que...
Pra mim voce jamais sorrisse
E que em mim nada te atraisse
Isso, por certo iria me enlouquecer
Mas te levaria em mim até morrer!


Ainda que...
Eu nunca venha a te tocar
E os teus misterios eu jamais possa provar
Em pensamento quero te sentir tremer
E a cada dia te ver em mim florescer!



Nunca te procurei, mas assim que te encontrei,  jamais te perdi de dentro de mim!


Come ho detto il mio vecchio, quando ero giovane, al momento che l'amore per te, essere per sempre, perché altrimenti non ne vale la pena!

Poeta de Cá

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O medo e a religião

          Nós seres humanos somos inseguros por natureza, suscetíveis ao medo e isso faz com que sejamos eternos fugitivos, buscando proteção. O nosso instinto não nos dirige com segurança pelos caminhos da vida, temos que estar sempre aprendendo a nos orientar em direção ao nosso porto seguro. Muitas vezes nos perdemos, pois as incertezas habitam ao nosso redor e assim nos tornamos vulneráveis.
          A incerteza e a vulnerabilidade são dois caminhos que o medo utiliza para se infiltrar nas nossas entranhas e esse medo nos torna dependentes de alguém ou de alguma coisa. Nessa brecha entram as religiões que manipulam o medo. As religiões utilizam o medo para manipular o ser humano, carente, medroso e sem informação. Ao ver a debilidade do ser humano, as religiões criam deuses para cada necessidade, para cada gosto. Deuses poderosos, que protegem, que realizam desejos, que dão poderes, e, olhando para um poder tão absoluto, buscamos defesa e segurança. Na verdade, se olharmos atentamente, o poder é a uma outra face do medo. Resumindo, as religiões tem sempre um deus soberano que é usado para espantar o medo que nasceu da vulnerabilidade e das incertezas.
          A história humana é cheia de medos, depósitos e depósitos deles. Quando se deseja submeter alguém, se utiliza o medo, recorre-se a ele. Não é de se admirar que se tire proveito do medo para se manipular, o poder serve-se dele até para escravizar. A teologia do medo, por exemplo é muito utilizada na religião para subjugar e controlar;  para isso ela se encheu de ameaças e busca controlar e administrar o sagrado.     
         Utilizando a teologia do medo, a religião criou um deus que é como um superpolicial, que tudo vê e tudo sabe e fará com que cada um de nós preste conta de todo e qualquer deslize cometido. Pobre de nós seres humanos criados a imagem do próprio Deus!
          Até quando seremos dependentes da religião para aplacar nossos medos? Até quando?





Tento aos poucos purificar a imagem de Deus na minha visão. Não é fácil, pois a cultura e a religião já a enraizaram dentro de mim e é como uma doença, quase que incurável. O meu Deus não se impõe, se expõe. É o Deus da liberdade, da misericórdia, do amor. Um Deus que liberta da religião. Como diz J. Mointg, um Deus que não está ligado a povos eleitos, nem a templos, nem a representações nem a cultos. É um Deus que anda no mundo profano dos homens. É aí que Ele se encontra!


Poeta de Cá

Apelo

Eu gosto do seu jeito, não vejo defeitos
Tuas curvas! Que maldade! Santa ingenuidade!
Fatalidade!
Faz isso comigo não menina!
Me ensina!
Eu quero seus labios quase desenhados,
melados!
Te contemplo, te desejo
Me perdi no seu perfume,
porque não me assume?
Me envolva com seus beijos,
me abrace, me enlace!
Me diga palavras que quero ouvir,
preciso sentir!
Me seduza de uma forma inocente
Me toque, me apalpe, seja incoerente!
Desarme o sério que existe em mim
Me diga sou sua, me possua, to a fim!
É essa a hora, que seja agora, não me deixe assim!
Não pergunte, eu posso?
O momento é nosso, te quero pra mim!



Sou apenas simples e as vezes incoerênte, como a maioria dos mortais. Ainda sou romântico apesar disso estar fora de moda nos dias de hoje, assim sendo, escrevo o que vai no meu coração sem me preocupar com o que os outros pensem ou digam.
Apenas... escrevo!


Poeta de Cá

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

De repente...

de repente... voce
e eu nem soube o que fazer
voce chegou e entrou em mim
e eu sem saber o que dizer
senti um doce arrepio
que eu nem consegui descrever
e foi como um grande desafio
e uma linda poesia eu vi nascer
ela falava de voce a cintilar
como se fosse o melhor brilho
que uma estrela possa ousar
e como fogos reluzentes
a muitos anos luz
coberta pela escuridão e a distancia
trazendo uma terna magia que me seduz
me vi envolvido pela sua companhia
girando junto com meus sentimentos
provocando em mim uma doce poesia
formando imagens multicoloridas
que envolve sonhos,
desejos e até vidas vazias
fica comigo menina
dispa-me de todos os meus anseios
encontre-me, use todos os seus meios
por dias e noites sem fim
por toda a eternidade
venha, me use, abuse de mim
só voce sabe como me tocar
só voce sabe me amar!



Cabe a nós fazermos de algumas utopias, realidades. Não custa tentar não é mesmo?


Poeta de Cá

Delírio

como posso ouvir "eu te amo"
se por ti nunca fui notado?
ou andar nas ruas de mãos dadas,
se nunca estivemos lado a lado?
esse delírio não é nada natural
estou me sentindo até meio anormal
ao sentimento já fiquei alienado

como posso sentir o teu gosto
sem nunca ter te beijado?
e o eriçar da sua pele,
sem nunca ter te tocado?
será que é tudo ilusão,
devaneios de paixão
de um amor imaginado?

como posso sair da sua vida
sem nunca ter nela entrado?
e prever tudo terminando,
sem nunca ter começado?
sentir o seu toque invisível,
isso parece possível,
ou eu já estou pirado?



As vezes brincar é bom, pois ajudar a espantar os medos!


Poeta de Cá

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Através da janela

Olho lá fora
E através da janela semi aberta
A névoa foi embora
Voce é como miragem


Olho o céu
E através da janela semi aberta
A luz do sol é como véu
Me traz a sua imagem


Te vejo e te ouço com o coração
Nas nuvens que passam
Ao longe, na letra de uma canção


Voce está contida nas palavras, como um livro aberto
Palavras que emocionam sempre, um coração incerto
Contida em cada mes, cada dia que irá passar
Na esperança um desejo...
Através da janela te vejo...
Chegar...



Quando olho pra dentro de mim e te encontro, percebo que um único olhar foi para vida toda!
 
Poeta de Cá

Viver (2)

bom seria andar sem rumo
bom seria viver sem previsões
bom seria nem olhar pro amanhã
bom seria viver sem preocupações
mas a vida não é uma ciência exata
antes, é cheia de oscilações
e isso a torna tão bela e vibrante
um desafio para as nossas decisões!
por isso caminhe, não pare!
olhe... escolha... pois são muitas as direções!


bom é viver os sonhos que chegarem
bom é viver a vida com vontade
bom é viver sem medo do indecifrável
bom é viver sempre em novidade
se te chamarem "conformado"
não se importe, viva a realidade
busque amigos, busque amores
sempre, sempre com sinceridade
colha e espalhe o amor
faça tudo com muita intensidade!



Em certa época da vida percebe-se que não há mais tempo pra esperar, melindrar, brigar, cometer certas tolices e inutilidades. Percebe-se que é tempo de brincar, tempo curtir poesias e canções, tempo viajar, de ler, de apreciar paisagens, praias, tempo de amar (e muito), enfim desfrutar a vida em toda sua plenitude.


Poeta de Cá

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Te amando

Te amando eu percebi o imperfeito
Pois tentava fazer tudo do meu jeito
Vi então que não estava fazendo direito


Te amando eu não queria nunca ter errado
Descobri que estava ficando alienado
Então meio confuso, pela vida fui levado


Te amando eu vi melhor a beleza das flores
Percebi nas pessoas a troca de valores
Por isso também vi o horror das muitas dores


Te amando eu notei a paz sendo perseguida
Me alegrei quando vi uma mão estendida
Vi no gesto o amor completando a vida


Te amando eu te toquei em pensamentos
Pus neles os meus mais profundos sentimentos
Mesmo distante viví intensamente aqueles momentos


Te amando eu alcei vôo na imaginação
Planei sobre seus encantos envolvido pela emoção
Viajei nos seus sussuros, me perdi na sua respiração!



Se as palavras não veem, apenas sinta e deixe-se sentir!


Poeta de Cá

Mar aberto

Mar aberto é o teu corpo
  Entregue nas minhas mãos
    Suas águas não tem porto
      Mas tem praias de verão...



Já dizia o grande poeta Taiguara: Meu pedaço de universo é o teu corpo!!


Poeta de Cá

Contemplação

Será que os dias frios voltarão logo?
Pois eu já preciso tanto ser aquecido
Me abrace, me faça te sentir, te rogo
Nunca mais deixe eu me sentir esquecido
Quando as folhas voltarão a cair?
Que tempo é esse que estou vivendo?
Parece que nada quer contribuir
E tão afastado, me sinto perecendo
Teus olhos estão tão distantes
Sem eles, o que faço agora?
Em mim foram como o sol, brilhante!
Queria tanto tocá-los como outrora!!!
Percorri um caminho solitário
Tentei, tentei e na jornada me perdi
Te ilustrei no meu imaginário
Mas o perfeito na verdade eu não vivi
Gritei, gritei e nunca fui ouvido
E acabei então por me esconder
Em outra vida e não ser mais ferido
E minha maior derrota esquecer
As vezes me pergunto: porque estou triste?
Como recuperar o tempo que passou?
A eternidade será mesmo que existe?
Pra vivermos lá o que nunca terminou...



Como diz certo poeta: Por ela as contradições e até os desvarios, cada insensatez e cada desafio!


Poeta de Cá

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Uma Bíblia aberta...

          Uma Bíblia aberta deve nos levar a pensar, a refletir, pois ela contém a Palavra de Deus, Palavra que quando absorvida, transforma vidas, modifica caráter, endireita caminhos, aquece corações, levanta caídos, vivifica mortos...
          Uma Bíblia aberta aquieta o ansioso tirando dele toda impaciência, tranquilizando e trazendo paz interior. Uma Bíblia aberta mostra caminhos, caminhos que vão a todas as direções, caminhos estreitos e largos, longos e curtos; caminhos ladeados e adornados por flores, mas também caminhos cercados de espinhos e cheios de pedras; caminhos de vida e caminhos de morte. Uma Bíblia aberta nos indica que caminho devemos trilhar, nos ensina vida!
          Uma Bíblia aberta traz a presença de Deus para junto daquele que tem como companheira a solidão,  daquele que se sente só, que é excluido, abandonado, e, faz com que este solitário desfrute da mais importante das companhias.
          Uma Bíblia aberta ajuda a tomar decisões, cura feridas, produz conhecimento íntimo, limpa visões distorcidas, alarga horizontes, reconcilia pessoas e traz esperanças. Uma Bíblia aberta, não só aplaca a ira, como também ensina a amar, a enfrentar tentações que tanto assolam o ser humano.
          Uma Bíblia quando é aberta, nos alerta sobre a inveja, a soberba, o egoismo, abrindo o entendimento e levando o ser humano a conhecer um pouco mais sobre si mesmo, dá também o discernimento sobre doutrinas que confundem, que desviam o homem do caminho reto. Uma Biblia aberta transforma valores, consola aflitos e desesperados, provoca controvérsias naqueles que não a conhecem, tira dúvidas, esclarece conflitos e ensina a viver de modo digno.
          Uma Bíblia aberta faz tudo isso e muito mais, porém, não basta apenas estar aberta. É preciso lê-la, estudá-la com muita atenção para entendê-la e então deixar acontecer o que diz uma certa canção:

Sonda-me Senhor e me conhece
Quebranta o meu coração
Transforma-me conforme a Tua Palavra
E enche-me até que em mim
Se ache só a Ti!
            Uma Bíblia apenas aberta em qualquer página, não dá nenhum tipo de proteção ou coisa que o valha, pois ela não é nenhum amuleto de sorte ( isso é misticismo), mas se praticamos um ato assim, nós a transformamos apenas em um livro qualquer e ela perde seu principal objetivo que é ensinar "vida".           
           Uma Biblia aberta, quando lida, entendida e ensinada, restaura povos, modifica gerações. Uma Biblia aberta é Deus ensinando a viver!




Não sou um religioso e se escrevi o texto acima, é porque conheço razoávelmente o Livro em questão, no entanto creio que o cristianismo é uma maneira de viver não uma religião como nos ensinam, por isso, é desejo do meu coração que todos aqueles que passarem por aqui, tenham uma excelente semana.


Poeta de Cá        

Inspiração!!!

O vento forte de uma tempestade
a calma melodia de um piano
é mistura na minha inspiração
e repetem te amo, te amo, te amo!
o amor que aflora e fala de voce
é o meu  respirar, meu sentir, meu viver!

Como tocar voce ausente,
mas no sangue presente?
Como fazer isso livremente?

Voce habita na distancia
no tempo, em lugar nenhum
se me encontro na sua boca
como fazer disso um lugar comum?

Como folha ao vento, te procuro
na luz, na vida, no meu lado escuro

Voce é agua, terra, fogo e paixão
é lança em meu coração
voce... voce é minha inspiração!!!




As vezes me pego a pensar e me acho parecido com o sol, pois assim como na alvorada, a escuridão vai se dissipando e a sua luz vai trazendo percepção as formas, assim também as palavras, as rimas, a poesia, brotam no meu interior e minha mente vai dando forma a tudo que escrevo.


Poeta de Cá

domingo, 19 de setembro de 2010

Minhas Emoções

As minhas emoções
Eu não posso esconder
Sentimentos assim
Me fizeram crescer
Pra viver e sentir
E chorar ou sorrir
Ou voltar
Pra ganhar ou perder
E brincar de aprender
E a emoção florescer
Numa vitória
Uma esperança
O sorriso de uma criança
Numa partida uma lembrança
Momentos pra se repetir
Num beijo doce
Uma saudade
Um pouco de felicidade
Na mão amiga
Uma verdade
Emoções que eu quero sentir!



Esta canção nasceu no inicio dos anos 70 após um fim de romance. Entre tantas emoções borbulhando naquele momento, consegui condensar algumas nestas palavras, acompanhadas de uma melodia. Uma forma de desabafo, eu acho!


Poeta de Cá

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Tua boca

A tua boca... teus beijos...
É meu desafio....
É minha tentação...
...meu pecado.
Misto de delírios, mistérios e sedução


Tua boca... teus beijos....
É minha fraqueza
Me faz perder o controle
Esquecer o mundo
É docemente insinuante
Me faz esquecer de mim
Fico louca, maluca, enfeitiçada e ofegante...


Te quero...
Como uma ardente chama
Meu louco desejo
É como atração fatal...
Deliciosa e perigosa traição
Que as vezes me faz delirar
Ou me faz covarde
Diante de mim mesma
As vezes me sinto inocente e pecadora
Quando tenho teus beijos
É como fogo que me queima a alma
E explode meu coração


É assim que eu te sinto
Quando tenho sua boca na minha
Quando tenho teus beijos...

Autora: V. F.



Pura poesia e sensibilidade de quem tem o sentimento a flor da pele!


Poeta de Cá

Alegria!!!

Hoje eu estou,
me sentindo enluarado
Vou sair de braços dados
com o amor a festejar
A amargura,
eu chutei com ousadia
Nas asas da alegria
a vida vou encontrar

Pra começar,
vou pegar meu violão
E uma linda canção
com o mundo vou cantar
Da fantasia,
vou fazer realidade
Vou divertir a saudade
que está no seu lugar


Pelo caminho,
todos que quiserem ir
São livres pra me seguir
para o triste confortar
E de mãos dadas,
aquele que vai comigo
É para fazer amigos
ver a vida triunfar


Vamos em frente,
na rua felicidade
Cruzando a amizade
para o amor espalhar
Temos sorrisos,
respeito e igualdade
Fazer, basta ter vontade
o amanhã pode não chegar!



Existem dias que em a poesia se derrema em lágrimas, outros em seriedade, mas também tem dias que ela é pura euforia, se desmanchando em contentamento!


Poeta de Cá

O meu amor

Muito maior que o sol
Vai além do universo
Perder-se no infinito
Dói que chega ser perverso
Assim é o amor que sinto
Mais forte que todo adverso


Vai além das frustrações
Da minha própria vontade
Quero arrancá-lo do peito
Pra não morrer de saudade
Sei de antemão que ele vai
Comigo pra eternidade


Está presente em meu sangue
Povoa todo o meu ser
Guerreia com os meus valores
Me chama para renascer
É a razão dos meus conflitos
Mas também do meu viver!




Aquele que tem medo, não pode amar, pois, amando se expõe, se vulnerabiliza e se arrisca a sofrer. Alguém ja disse: Quem ama se torna refém da pessoa amada!


Poeta de Cá

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Nos teus braços

Nos teus braços...
Eu nem vi o dia findar
E envolto pelo seu amor
Não percebi a noite passar

Na inércia de uma vida voce colocou esplendor
E o amor então viveu somente amor por amor!


Nos teus braços...
Achei respostas para poder amar
E inocente me aconcheguei
Pude então sentir a vida me afagar!!



Ao seu lado, apenas um instante é como a eternidade!


Poeta de Cá

Florada



  Quando finda o inverno
Todo ser vivo espera
A mais linda estação
É chegada a primavera
Tudo se torna mais vivo
A vida é exaltada
Sinais multicoloridos
É o tempo da florada
As flores ofertam seu néctar
A insetos, a beija-flores
O perfume está no ar
Rico, são vários odores
O verde parece mais verde
O viço é extasiante
Enchendo os olhos da gente
Com uma beleza vibrante
O orvalho reflete a luz
De um sol madrugador
O ar puro da manhã
Louva o seu Criador
Assim será minha vida
Vivida e tão sonhada
Alcançarei esse tempo
Em voce, minha florada!




Que tudo que eu escreva seja inspirado pelo amor que sinto, porque metade de mim é poesia, a outra metade é voce!


Poeta de Cá

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Por um instante

video

O deslumbrante renasceu
Porque minh'alma desnudei
Nos cenários da memória
A beleza recordei
Na janela do passado
Por um instante olhei

Eu vi as trilhas bucólicas
Bosques, prados verdejantes
Me vi menino de novo
Correndo, viçoso, vibrante!
Sem limites para os sonhos
Me fiz no passado imigrante

Naquele velho carvalho
Novamente eu subi
Na copada entre as folhas
Ao lado do bem-te-ví
O vento soprava forte
De novo quase caí

O casarão que eu morava
Tinha as telhas carcomidas
Via as estrelas pelas frestas
Das paredes envelhecidas
O fogão era a lenha
E bem mais gostosa a comida

Me vi andando descalço
Ouvindo a coruja piar
O pão caseiro da mamãe
Voltei a saborear
Com a mesma timides
Me arrisquei a te olhar.

Os limites do horizonte
Eu sempre quis separar
Nos rios de águas claras
Eu tornei a mergulhar
E a professora de história  (D. Lurdes Fragoso)
Voltou a me ensinar.



Musica: Estrada Nova
A poesia e a genialidade de Osvaldo Montenegro.

Lembra se puder...

As lembranças são uma estrada que nos leva ao passado para que possamos vive-lo novamente, porém, muitas vezes em momentos assim somos feridos pelas farpas da nostalgia!


Poeta de Cá

Segunda Feira - Tudo Igual

          Segunda feira tudo igual! Não gosto do óbvio, da mesmice, as vezes chega a ser deprimente. Olho pra tragédia humana no nosso país; já tentei, mas não consigo dar de ombros, pois também me sinto responsável, um inútil, por não fazer nada a respeito. Olho pra onipotência de certas pessoas; os argumentos, as ações e as atitudes delas me empurram a raciocinar e me faço achar por perguntas que me martelam o cérebro, mas nem sempre encontro respostas que me satisfaçam. É muito egoísmo e em nome dele, muito desmando!
          Já estive no meio de badalações e fui alvo delas; gostei, ascendeu meu ego, por isso rompi com aquilo, não achei certo apesar da maioria adorar. Em certas áreas da vida, gosto de ter meus pés no chão, resisto as tentações. Gosto de viver o simples, mesmo um pequeno sucesso engana e é transitório, temporal. Sei que o possível nem sempre é o melhor, mas a vida é cheia de nuances e o amanhã não sabemos como será, não temos o controle de nada. Sou otimista, espero sempre o melhor, mas também sei que nem por isso devo ficar na inércia, no ócio, esperando acontecer.
          Segunda feira é sempre igual, começa tudo de novo. Já estou velho e talvez seja melhor poupar meu coração, não ser vulnerável, pois as decepções doem e deixam nossa alma amarga. Certas situações peçonhentas atrasam nossa vida e mexem com nosso metabolismo interior nos impedindo de caminhar livremente. Talvez fosse melhor apenas olhar para o imponderável e deixar a vida seguir seu curso normalmente. Me conformar apenas em ser mais um.
Será?




Não gosto de desconstruir as certezas, mas através da liberdade de pensamento, posso se necessário, questioná-las.


Poeta de Cá

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Recordações
















Olhando para traz ainda vejo
O que não volta, o que ficou
Foram momentos e canções
Lugares e emoções
Que em meu viver descortinou
E que em mim muito marcou


Tudo, tudo que me lembro
Foi bom e eu soube viver
Cada amigo foi sempre um irmão
Na alegria, na escuridão
Isso só me fez crescer
Me ví aprendendo, florescer...


A vida é uma estrada sinuosa
Onde há sol, porém pode chover
Os respingos de certas lembranças
De um tempo quase criança
Sei, jamais vou esquecer
E viverá em mim, me verá envelhecer


Sei que a chuva pode levar os meus rastros
Como o tempo, pode arrancar sentimentos
Se um dia os teus labios eu beijei
Se as tuas mãos eu segurei
Saiba, foram os meus melhores momentos
Foram, são e sempre serão o meu alento...
















Saudades de Nova Londrina no Paraná, cidade do meu coração. Saudade dos amigos, da minha infância, minha juventude lá vivida!!  Bons tempos!!


Poeta de Cá

Ela

Como o vento que passa
Dissipando a fumaça
Ela me faz flutuar
Vou de encontro ao céu
Como abelha no mel
Me perder no seu luar
Seu corpo minha atração
Na sua respiração
Me faço seu favorito
Como num voo rasante
Em colinas verdejantes
Me perco em seu infinito



Olhando para o céu, entre milhões de estrelas consegui encontrar a sua, porém a minha continua perdida...


Poeta de Cá

Desejos!

Junto do meu coração!
Vem ficar aqui, bem aqui
Bem juntinho...
Curtindo essa emoção
e então...
Sua boca se insinua, como dizendo,
sou sua, me possua...
E num beijo o seu amor
Traz consigo humidade... fantasia... pecado... calor...
Sua boca tem o mais doce sabor!
Sabor do desejo, que eu almejo.
Tudo em voce é diferente, elouquente, ardente!!!!

Sua pele tão macia, denuncia...
Me toque sem censura, com loucura!
Em seus gestos delirantes, provocantes
Tudo é muito vibrante!
É um momento de sutil encantamento
Perfeito, sem defeito

O meu toque te encontrou, te achou...
E tudo então, apenas começou!!!!
Na penumbra tudo se tornou colorido,
no silêncio se fez alarido.
Num desejo louco, não pouco
Nada é escondido, é vivido, até sofrido!
Misturam-se os gemidos!
Viagem, paisagem...aqui, frenesí!
Tudo é um meio, seu colo, seu seio...

A sede saciada, força esgotada!
Corpos ja cansados, lado a lado
Saciados!
Nos seus braços quero ser adormecido
Permanecer ali, sem sentidos
Para sempre, para sempre
Pelo seu corpo envolvido!




Como já disse certo poeta e eu vou repetir:  Faça a magia acontecer novamente, encoste os teus lábios suavemente nos meus!


Poeta de Cá

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Voo para o amanhã

                                                                  
video                                                                                                 
Vou abrir minhas asas e voar
O caminho do sol vou seguir
Sentir o vento tocar o meu rosto
E tendo o céu a me possuir
Me integrar ao macro universo
Pelas janelas do amanhã sair!

O meu voo não terá escalas
Pois meu rumo é a liberdade
Sem preocupações, sem medos
O que eu busco é a imensidade
Deixo para o mundo
E só levo comigo a saudade!



A nossa vida se situa entre dois "nadas", o ontem que não mais existe e o amanhã que não sabemos se chegará. Por isso, vivamos o hoje, o agora!  Esse momento é a eternidade!


Poeta de Cá

Te amar

Do meu jeito
imperfeito
Te amar sem normas
de todas as formas


Cada momento
sentimento
Te amar a vida inteira
de todas as maneiras


Seu beijo
desejo
Te toco, meu foco
Voce atrevida
vou te amar sem medida


Sem medos
nem segredos
Voce é meu mel
Pra te amar tiro meu amor do papel



A doçura de um momento deve ser vivida em toda sua plenitude, pois este momento pode nunca mais se repetir!


Poeta de Cá

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Vento...

Vento...
Toque o meu rosto, seja amigo
Me faça sentir a minha vida
Me leve até a árvore azul
Com as flores bem mais coloridas
Encante-me com vagalumes sortidos
Leve-me junto as águias cinzentas
Sobre os mares iluminados
E rios sinuosos com águas barrentas


Vento...
Quero sorrir mas já não consigo
As estrelas deixaram de me fascinar
O céu está perdendo sua cor
Não tenho mais arco-iris no olhar
Meu oásis se tornou deserto
Cheio de árvores secas e tortas
Não tem mais aquela areia branca
E as fadas estão todas mortas


Vento...
Me leve, me leve pra bem longe
Aos braços do meu amor maior
Minhas vida está nos beijos dela
E meu mundo gira ao seu redor
Seus afagos e todo seu carinho
Me tornaram assim tão dependente
De uma fruta tão açucarada
Desejo, cheiro e um vinho muito "quente"




O verdadeiro amor não é como fumaça que vemos desvanecer com o vento!


Poeta de Cá

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Algumas verdades

A noite da alma é angústia
No silêncio tudo é mais atroz
Viver consiste em caminhar
O leão do amanhã é feroz
As incertezas dão medos constantes
Mas me divirto com a realidade cruel
Se percebo um olhar de soslaio
Eu nem ligo, pra muitos sou babel
Ja contei os meus anos e vi
Sei estou velho, mas me sinto um menino
Os rótulos ja não me incomodam
Confrontos sim, geram desatinos
Me mirei diante de espelhos
Vi, notei, sei qual a minha idade
Não desejo juventude eterna
E passo longe da auto piedade
Me embriago na ternura do amor
Me deleito nas rimas da poesia
Se viajo na minha imaginação fértil
Sua lembrança me faz companhia



Viver é navegar por mares desconhecidos em busca de portos até mesmo inalcansáveis!


Poeta de Cá

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Momentos

video

O que vejo em seu olhar?
percebo em cada lampejo a luz dos meus dias
e me perco nas longas noites frias
O que vejo em seu olhar?
consigo antever ao longe a calmaria do vento,
vem!
Acorde, vive comigo este momento!
Se o tempo não pára e nos traz os dias,
fica mais um segundo, viva comigo esta fantasia!
O que vejo em seu olhar?
Vejo que o brilho do dia nos descobrirá,
mas a noite nossa amiga, na penumbra nos esconderá
Se eu te amo, segura este sentimento,
vem!
Espera, fica mais um momento!
Amor meu! se o luar brilha lá fora,
porque a pressa, não vá embora,
me estenda a mão, deixe-se brilhar também
Nem todos nos entendem, vem amar, vem!
O silêncio é conivente e reina junto com a lua,
só se permite ser quebrado por seus sussurros, semi-nua
O que vejo em seu olhar?
O brilho dele me revela que este momento sempre irá durar,
lembre-se, o amor ainda está aqui a nos esperar
Feche os olhos, os meus lábios estão a te procurar
e os seus dedos suave acabaram de me achar
O instante é o tempo de uma vida inteira
La fora, a vida é passageira,
vem!
Vamos viver o amor, trocar nossas emoções,
não diga nada!
Apenas ame... e seja amada!



Repetindo... o instante é o tempo de uma vida inteira!


Poeta de Cá

Encontro

No momento que te vi
Algo novo eu senti
Nem sei o que aconteceu
Boca que mexe com a gente
Num sorriso diferente
Meu corpo todo tremeu

De olhar bem aguçado
Num verde quase encantado
Tão quente como um vulcão
Igual uma brasa ardente
Que queima por dentro a gente
Mais parece um furacão

Cabelo meio indeciso
Cai nos olhos porque é liso
Bom pra acariciar
Suave como uma brisa
Quando entre os dedos desliza
Ah! Como eu queria afagar!

Mãos macias, delicadas
Pele clara, perfumada
Atrai onde estiver
Corpo gracioso e esguio
É um grande desafio
Que delicia de mulher!

Voce é a musa que inspira
Os versos deste caipira
Que brinca ao tentar rimar
Matando o tempo e o tédio
Quer pelo seu intermedio
Praticar o verbo amar!



Escrevi em 1968 em Nova londrina Pr, a cidade do meu coração! 
O amor inspira as pessoas de uma forma muito especial!


Poeta de Cá